NOTÍCIAS

15 DE MAIO DE 2022
Paraíba debate implantação de central de vagas no sistema penitenciário

Foi realizada, na quinta-feira (12/5), a primeira reunião do grupo de trabalho do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) que vai viabilizar a implantação da Central de Regulação de Vagas do Sistema Penitenciário do estado. O instrumento foi idealizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e institui uma sistemática de gestão de vagas das unidades prisionais para regular o fluxo de entrada e de saída, bem como garantir mais equilíbrio e controle da ocupação.

Para o corregedor-geral do TJPB, desembargador Fred Coutinho, a Paraíba entra na vanguarda da história do sistema prisional com as discussões e estudos que começarão a ser promovidos. “Um instrumento que vai aperfeiçoar o sistema. Muitos encontros ocorrerão até a sua devida implantação. Só tenho a agradecer pelo empenho de todos os atores envolvidos.”

O escopo do projeto, que integra o programa Fazendo Justiça do CNJ, foi apresentado pela técnica do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) Janaina Homerin. Ela explicou os princípios estruturantes da iniciativa, entre eles, o de destacar o Poder Judiciário como articulador interinstitucional para buscar abordagens conjuntas para as políticas penais. “As soluções tentadas até hoje, como mutirões e interdições, são úteis e não podem ser desprezadas, mas precisamos buscar olhar para o fenômeno da superlotação de forma mais sistêmica.”

Janaina Homerin também detalhou conceitos como taxatividade carcerária, vaga e capacidade máxima real e falou sobre o manual disponibilizado com as principais ferramentas tecnológicas de regulação para as portas de entrada e saída e de atuação administrativa. Ela ainda apresentou a metodologia para um projeto piloto customizado, baseado na experiência do Maranhão – primeiro estado a desenvolver a iniciativa – e reforçou necessidade da articulação interinstitucional para a continuidade do programa.

A formação do grupo de trabalho e a apresentação das bases da Central marcaram os primeiros passos em direção à concretização da medida. Os próximos serão oficinas de estudos para apresentação das ferramentas de regulação de vagas, reuniões técnicas com o Executivo para um diagnóstico pormenorizado da situação prisional, coleta de dados básicos (que já foi iniciada) e engajamento da magistratura.

Boa recepção

Participantes da reunião demonstraram entusiasmo e se mostraram favoráveis ao instrumento, a exemplo da juíza auxiliar da Vara de Execução Penal de João Pessoa, Andrea Arcoverde. “Já li o manual e as instruções. Cerca de 40% dos apenados do estado se encontram na capital.”

O representante da Secretaria estadual de Administração Penitenciária, João Paulo Barros, destacou a importância para a Paraíba. “Possuímos cerca de 8,5 mil presos em regime fechado, divididos entre sentenciados e provisórios. Dispomos de 7,1 mil vagas, aproximadamente. Ou seja, existe um déficit de 1,4 mil vagas. Esta medida vai equalizar, trazer mais bem-estar para quem está preso e auxiliará a promover uma gestão mais qualificada.”

Já o representante da Secretaria estadual de Segurança e da Defesa Social, Fernando Klayton Fernandes, reforçou a importância da ação conjunta. “Não tenho dúvidas de que a adesão dos órgãos aqui representados é essencial para as atividades que ora se iniciam. Buscaremos colaborar da melhor maneira naquilo que nos compete.”

Pela seccional da Ordem dos Advogados do Brasil, o advogado Alberdan Coelho falou que a iniciativa é uma luz para a delicada situação penitenciária por todo o país. “Quero parabenizar o CNJ por este grupo para que possamos colaborar, da melhor forma possível, a fim de oferecer mais dignidade à população carcerária. Vamos ao trabalho.”

À frente do grupo de trabalho, a juíza corregedora Aparecida Gadelha agradeceu pelo envolvimento dos atores com a iniciativa. “Deixo aqui a nossa segurança de que podemos contar com parceiros tão empenhados e que acreditam nesta realização, que também é um sonho para quem atua no sistema carcerário. Tenho certeza de que será um projeto muito exitoso.”

Fonte: TJPB

Macrodesafio - Aprimoramento da gestão da Justiça criminal

The post Paraíba debate implantação de central de vagas no sistema penitenciário appeared first on Portal CNJ.

Outras Notícias

Portal CNJ

05 DE JULHO DE 2022
Aplicação de penas alternativas envolve disciplinas além do direito

O debate sobre a aplicação de penas alternativas aponta para a necessidade da interdisciplinaridade do direito,...


Portal CNJ

05 DE JULHO DE 2022
Revista CNJ: artigo destaca a relevância das habilidades emocionais de magistrados

Artigo publicado na 1ª edição de 2022 da Revista Eletrônica do CNJ intitulado “Habilidades socioemocionais e o...


Portal CNJ

05 DE JULHO DE 2022
Artigo – Justiça 4.0: uma nova onda de acesso à Justiça

Artigo publicado originalmente no Jota, em 4 de julho de 2022 Valter Shuenquener de Araújo*, Anderson de Paiva...


Portal CNJ

04 DE JULHO DE 2022
Corte IDH: Começa a ser elaborado plano para adequação de presídio no RJ

O grupo de trabalho interinstitucional criado para desenvolver medidas que adequem o presídio Instituto Penal...


Portal CNJ

04 DE JULHO DE 2022
Tribunais mostram experiências na preservação de arquivos digitais

A preservação da memória e do conhecimento gerado pelo Judiciário depende da implantação eficaz do...


Portal CNJ

04 DE JULHO DE 2022
Consultorias vão avaliar tecnologia e combate à corrupção e à lavagem de dinheiro

Pode ser enviadas, até a próxima segunda-feira (11/7), propostas de consultoria para realização de pesquisas...


Portal CNJ

04 DE JULHO DE 2022
Obras raras digitalizadas garantem acesso à memória do Brasil

A Biblioteca da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj) é o sonho de qualquer pesquisador. Uma...


Anoreg RS

04 DE JULHO DE 2022
Trisais: ‘Estado não pode se colocar contra essa realidade’, diz advogado

Relacionamentos não monogâmicos não são permitidos dentro da constituição brasileira.


Anoreg RS

04 DE JULHO DE 2022
Folha de S. Paulo – Justiça derruba decisão que reconheceu união entre Jorge Lafond, a Vera Verão, e seu empresário

Tribunal decidiu que, apesar de provas indicarem que os dois tiveram um caso, não ficou demonstrada intenção de...


Anoreg RS

04 DE JULHO DE 2022
Clipping – O Dia – Suíça celebra primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo

A Suíça celebrou nesta sexta-feira (1°) o primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo.