NOTÍCIAS

05 DE JULHO DE 2022
Revista CNJ: artigo destaca a relevância das habilidades emocionais de magistrados

Artigo publicado na 1ª edição de 2022 da Revista Eletrônica do CNJ intitulado “Habilidades socioemocionais e o magistrado gestor: as soft skills como competências para a liderança organizacional” defende a aplicação do conceito na seleção e capacitação de magistrados do Poder Judiciário. De acordo com o artigo, os candidatos à magistratura deveriam ser selecionados não apenas a partir do conteúdo técnico que dominam, mas também levar em consideração essas outras habilidades cada vez mais valorizadas no mercado corporativo.

Acesse a íntegra da e-Revista CNJ

As soft skills são compreendidas como a capacidade de gerenciar as emoções tanto no nível intrapessoal quanto interpessoal, ou seja, são relacionadas ao comportamento do ser humano, como se expressa emocionalmente, como lida consigo e com os outros, se tem empatia e autocontrole. Por outro lado, hard skills são entendidas como as habilidades técnicas adquiridas através do aprendizado ou da experiência.

Segundo Jurema Carolina da Silveira Gomes, Larissa Garrido Benetti Segura e Paloma Machado Graf, autoras do artigo, o Poder Judiciário tem sido pressionado desde a década de 1990 pela mudança de paradigma do Poder Executivo, que passou a modernizar a gestão adotando um modelo de administração gerencial incorporando técnicas da iniciativa privada. Hoje, as funções gerenciais dos magistrados são amplamente reconhecidas.

Diante desse cenário, as autoras apresentam pesquisas e ideias de diferentes estudiosos para demonstrar que a arte da liderança está na mescla de habilidades técnicas e emocionais, “suaves” e “duras”, na tradução livre dos termos para o português. Sendo assim, do juiz gestor é exigido um papel de liderança que saiba administrar as competências comportamentais com a finalidade de promover uma gestão humanizada, com a construção de um ambiente de trabalho agradável que vai refletir em uma adequada prestação jurisdicional.

O texto destaca que se faz necessário repensar os processos seletivos e de capacitação dos líderes do Poder Judiciário com o intuito de valorizar habilidades socioemocionais tais como: autoconsciência, autogestão, empatia e habilidade social. Pois, muitas vezes são essas características que destacam o bom profissional. Como ilustrado nas palavras do estudioso, citado no artigo, Carlos Júlio “o que nos coloca no jogo é o que sabemos e aprendemos usando nossa capacidade cognitiva, mas o que nele nos mantém é como resgatamos a nossa própria humanidade”.

e-Revista

Publicada semestralmente, a e-Revista CNJ veicula trabalhos acadêmicos com foco no Poder Judiciário e na prestação de serviços jurisdicionais no Brasil. A publicação segue requisitos exigidos pelo sistema Qualis-Periódicos, que é gerenciado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A produção do periódico é coordenada pela Secretaria Especial de Programas, Pesquisas e Gestão Estratégica do CNJ e a organização é de responsabilidade do Departamento de Pesquisas Judiciárias. Todos os artigos enviados para apreciação são analisados tecnicamente por pareceristas anônimos, com doutorado na área e indicados pelo Conselho Editorial da e-Revista do CNJ.

Texto: Thayara Martins
Edição: Thaís Cieglinski
Agência CNJ de Notícias

Macrodesafio - Aprimoramento da gestão de pessoas

The post Revista CNJ: artigo destaca a relevância das habilidades emocionais de magistrados appeared first on Portal CNJ.

Outras Notícias

Portal CNJ

11 DE AGOSTO DE 2022
CNJ apresentará anteprojeto de lei com regras para reconhecimento pessoal de suspeitos

O reconhecimento pessoal errôneo é considerado uma das principais causas de prisões e condenações injustas no...


Portal CNJ

10 DE AGOSTO DE 2022
Empresa de mediação soluciona mais de 16 mil conflitos durante a pandemia

Nos dois primeiros anos em que o país teve de lidar com a pandemia da Covid-19 – e milhares de...


Portal CNJ

10 DE AGOSTO DE 2022
Fonajus discute judicialização e novas tecnologias na V Jornada de Direito da Saúde

Os desafios da judicialização da saúde serão discutidos durante a V Jornada de Direito da Saúde, que será...


Anoreg RS

10 DE AGOSTO DE 2022
Parcela Express recebe certificação relativa à Segurança de Dados

Certificado internacional atesta responsabilidade da empresa na segurança e proteção de dados pessoais dos usuários


Portal CNJ

10 DE AGOSTO DE 2022
Formulário e pesquisa do Judiciário reforçam combate a violência contra pessoas LGBTQIA+

O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, afirmou, no...


Portal CNJ

10 DE AGOSTO DE 2022
CNJ firma parceria em prol da implantação de política de saneamento básico

A capacitação de integrantes do Poder Judiciário em relação à gestão dos recursos hídricos e à Política...


Anoreg RS

10 DE AGOSTO DE 2022
Presidente da Anoreg/RS recebe título de Cidadão de Porto Alegre

O evento reuniu autoridades dos poderes Legislativo, Judiciário e de órgãos da sociedade civil, além de...


Anoreg RS

10 DE AGOSTO DE 2022
Entidades registrais e Sinduscon realizam visita de cortesia ao corregedor-geral da Justiça do RS

Na oportunidade, foi apresentada a nova diretoria do Sinduscon e as pautas que englobam os serviços registrais e da...


Anoreg RS

10 DE AGOSTO DE 2022
Rádio Justiça aborda questão da tecnologia 5G e seu impacto no mercado imobiliário

Entrevista com Júlio Delamôra tratou da locação de espaços para instalação de antenas de telefonia.


Anoreg RS

10 DE AGOSTO DE 2022
Artigo: Uma importante mudança no registro de pessoas – Por Rogério Tadeu Romano

Dispõe o artigo 16 do Código Civil que toda pessoa tem direito ao nome, nele compreendidos o prenome e o sobrenome.